Noticias Centro histórico de Perdões poderá se tornar patrimônio de Minas Gerais

Centro histórico de Perdões poderá se tornar patrimônio de Minas Gerais

Cidade possui casarões e até igrejas com mais de 200 anos de existência.Moradores querem preservação, mas se preocupam com futuro delas

Por 14/03/2017

O Centro de Perdões (MG) pode se tornar, em breve, patrimônio protegido do Estado de Minas Gerais. O Conselho Estadual de Proteção abriu um processo de estudo para o tombamento do centro histórico do município, que possui casarões e até igrejas com mais de 200 anos de existência.O que não falta é história nas construções que fazem parte do centro. O prédio onde hoje funciona o museu municipal e também uma rádio, já foi usado como fórum e até como a cadeia da cidade.
"É bem estranho, a gente chega aqui de manhã, o trabalho começa 5h, por saber que aqui já foi cadeia, a gente fica assim... mas já acostumou também, já há 17 anos que a gente está trabalhando na emissora e pra gente é um privilégio estar trabalhando na memória da cidade, é um prédio que tem uma estrutura neo-clássica, é um prédio muito bonito", disse o radialista Rodrigo Fidélis.
Construções que, assim como na maioria das cidades, foram surgindo ao redor de igrejas. Uma delas fica no entorno da matriz do Senhor Bom Jesus de Perdões. Um prédio de 1790, que já passou por alterações, mas foi restaurado para recuperar as características originais.Pelo menos duas décadas antes, os moradores viram surgir a igrejinha do Rosário. Na época, a então matriz de Perdões já chamava a atenção pelo estilo jesuítico."Nós tínhamos uma torre aqui na lateral da igreja, uma torre que determinava que essa igreja foi construída no estilo jesuítico, na última reforma descobrimos isso e todo mundo admira a igreja, todo mundo quer estar presente nela porque ela é pequenininha, aconchegante e isso nos faz querer participar dela, estar com ela", disse o produtor cultural Bruno Costa.

Para proteger essas igrejas, os casarões e até imagens sacras, o município já fez um tombamento, em 2003, de 12 bens públicos e particulares. Mas agora o Conselho Estadual de Patrimônio Cultural (Conep) também está fazendo um estudo para avaliar a necessidade do tombamento pelo estado não só desses bens, mas de todo o centro histórico da cidade.
"O histórico percebeu que Perdões tem um acervo cultural muito grande e importante, e eles decidiram fazer esse estudo de um possível tombamento do centro histórico, o que para nós é muito importante, a gente fica muito feliz com essa notificação. O estado está reconhecendo que a cidade tem um valor histórico interessante", disse o chefe de sessão do patrimônio histórico da cidade, Amauri Donizetti Leite.
A abertura desse estudo já foi publicada no Diário Oficial de Minas Gerais. Desde então, qualquer alteração nos bens tem que ser informada ao Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico, o Iepha. Entre os moradores, o tombamento divide opiniões. "O Estado que tombou passa a ter direito na casa e os que são herdeiros como ficam?", perguntou a aposentada Iracema Barbosa Pinheiro.Quem já mora em uma dessas casas há pelo menos quatro gerações, quer manter a estrutura do mesmo jeito em que ela se encontra."Essa casa foi construída pelo meu bisavô, Coronel Joaquim Francisco, que era da Guarda Nacional de Dom Pedro II. Dele passou para minha avó, da minha avó passou para minhas tias e das minhas tias passou para mim, eu já sou a quarta geração que estou com a casa. A preservação é importante porque é a memória da cidade, um povo sem memória não existe", define a aposentada Olinda Teixeira Macêdo.

 



Fonte: G1 Sul de Minas

COMENTÁRIOS

LEIA TAMBÉM

TV VERTENTES

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetur adipisicing elit. Animi, aspernatur atque, dolor dolores excepturi fugit illum incidunt itaque neque numquam obcaecati officiis.